29 novembro, 2018

Novembro está contando as horas para se despedir. Em passados meses, a mudança, na minha cabeça, teria sido uma constante aliada. E quisera eu puder - hoje - afirmar que ela continuara a fazer parte de mim, dos meus planos, e de tudo. Eu tenciono, eu quero, eu motivo(-me). Mas, por enquanto não dá. As estações o fazem. Eu não. E enquanto for assim, jamais conseguirei estar em paz comigo mesma. Por enquanto.