24 julho, 2014

Hoje, li: "Hoje amanheci com necessidade de você. De qualquer jeito. De qualquer maneira. Amanheci com sintomas de saudade, mas garanto que não é arrependimento, nem culpa. É só vontade de te ver sorrir de novo, de te cheirar, de te tocar. Tem dias que estamos tão vulneráveis ao amor que basta uma foto, uma canção ou uma singela lembrança, para que o coração comece a ficar sufocado. E hoje, acordei diabetes de amor, necessitando urgentemente de insulina do teu beijo. Daquele beijo que jamais conseguiu ter uma substituto. O tempo passa, é verdade. Mas aquilo que nos marca, ecoa dentro da nossa cabeça para sempre. Às vezes a lembrança fica leve, fininha e incolor. Mas assim como o vento, ela sempre faz questão de vir de repente e nos abraçar. E cada toque é um arrepio, casa flash de lembrança boa é um sorriso e cada cheiro que volta à tona, é uma sensação que foge da minha capacidade de conseguir e explicar. Hoje eu te queria aqui comigo, envolvido nos meus braços e vestida apenas pelo mesmo lençol que me cobre. Doses fortes de nostalgia me fizeram sentir carência nesta manhã de terça. O dia amanheceu gelado. O sol coberto. A janela está decorada com gotas e no meu quarto faz 14 graus de frio e saudade."

7 comentários:

Becas disse...

r: como eu ..

sam disse...

Muito obrigada!

Inês disse...

R: Sim, tem de ser!

Adorei o texto :)

claire disse...

comigo tem sido desde o inicio..gostei muito!

Inês Brito disse...

Que texto lindo! ♥

Renata disse...

Obrigada doce e igualmente :)

Cici disse...

Não resisti. Já estou a seguir. Um beijinho :)