06 outubro, 2016

Já fui dia sem sol, verão sem calor, noite sem lua. E, por vezes, sou.

4 comentários:

Daniela da Costa Silva disse...

O teu blog é sempre um bom cantinho a visitar!

Eros disse...

Ao contrário do que diria Georges Perros, há sim, quem ouça o que escrevemos. E assim sendo, nunca estaremos verdadeiramente na penumbra... mas talvez apenas vendados.

disse...

e por vezes somos tanta coisa que nos escapam as palavras, adorei:)

Cláudia S. Reis disse...

Às vezes somos assim: vazio. Mas só porque temos que saber como nos preencher!