29 outubro, 2014

Por entre inúmeras citações que se iam ocultando ao virar da página, esta efervesceu e agitou-me o coração: "És agora apenas uma fotografia ao lado da minha insónia. Uma memória que me fala sobretudo, como todas as memórias, daquilo que não existiu. Nesta forografia te esqueço. Meticulosamente, de cada vez que me esforço por reter-te e começo a inventar-te. Tudo em ti tem asas, agora - o teu riso, os teus passos. Até nas poucas frases que de ti recordo há um restolhar de penas. E deslizo por essa solidão demasiado humana ...".

4 comentários:

Maria Inês disse...

E quando aquilo em que acreditamos não depende só de nós?
Obrigada pelas tuas palavras!! :)

nês disse...

"Os olhos da memória vêem melhor que os nossos."...

mafalda disse...

Que lindo... escreve mais, por favor.

Paulo Silva disse...

Sempre tão bom quando nos assaltam o coração dessa forma. Aquecendo as memórias, abraçando o sentimento...